familia, REFLITA

Os desafios da parentalidade positiva.

A parentalidade positiva é uma abordagem conhecida como educação positiva, um método elogiado por atingir o ponto ideal entre uma educação rígida e permitir que os filhos façam o que quiserem.

Se um menino está batendo na irmã, por exemplo, a abordagem positiva dos pais seria tirá-lo da situação, e parar um momento para falar sobre o que os dois filhos estão sentindo e procurar soluções juntos para resolver a situação.

Parentalidade positiva

Pesquisas sobre criação com apego, por exemplo, (outro método), mostram que a maneira como os pais se conectam com seus filhos tem consequências abrangentes para a sua saúde mental, autocontrole e capacidade de criar relacionamentos com outras pessoas.

Os pais hoje em dia são encorajados a construir um bom relacionamento com seus filhos usando explicações e oferecendo opções em vez de gritar, envergonhar ou aproveitar recompensas e punições. Mas sem ser permissivo e submisso às crianças.

Emily Edlynn, uma psicóloga de Illinois, E.U.A , descreve o método como uma “abordagem baseada na empatia com firme compaixão, focada em responder às emoções da criança subjacentes a comportamentos desafiadores, dentro da estrutura de como nossas interações agora são parte da formação de um relacionamento vitalício com nosso filho ”.

Bom relacionamento com os filhos sem ser permissivo.

No entanto, os especialistas sugerem que a paternidade positiva pode prejudicar os pais, ao mesmo tempo que protege os filhos das emoções negativas que eles precisarão compreender mais tarde.

O psicólogo americano Coifman, argumenta que todas as emoções têm funções importantes. “As emoções positivas são essenciais para a construção de conexões, mas as emoções negativas são úteis no planejamento e no tipo de processos de pensamento de ordem superior e têm sido essenciais para a sobrevivência humana”, diz ela.

Quando as pessoas – incluindo os pais – sentem que não têm permissão para compartilhar emoções negativas, isso pode ser prejudicial para sua saúde mental. “Nós cometemos erros. Ficamos chateados. Às vezes, descontamos nas pessoas que não deveríamos descontar. E isso é normal, humano e normal para os pais também ”, explica Coifman.

Ensinar com amor.

Lições para a vida futura

Um possível risco dessa abordagem parental é que as crianças não aprenderão a interpretar e reagir às emoções negativas se os pais não permitirem que sejam vistas.

“Porque às vezes ficamos chateados, e é importante que as crianças vejam seus pais expressarem suas próprias preocupações”, diz Coifman. “Falar abertamente sobre esse medo e sua ansiedade – isso valida a experiência das crianças.”

Promover a positividade também pode prejudicar as mães, que realizam mais o “trabalho invisível”. “Vejo o bem-estar mental e emocional das mães como muito vulnerável devido às expectativas implacáveis ​​de fazer tudo, o tempo todo, profissionalmente e pessoalmente,” diz Edlynn. “Acho que a difusão de artigos e livros sobre os pais para nos ajudar a continuar a trabalhar para ser ‘melhor’ acaba fazendo com que nos sintamos pior.”

Encontrar o equilíbrio.

Vários são os fatores que desempenham um papel na forma como os pais criam seus filhos. A cultura, as restrições financeiras e o nível de estresse experimentado também afetam o estilo de criação dos filhos.

Uma questão importante é que muitos pais ficam sem apoio, seja de um parceiro, de parentes ou do governo. Isso pode deixá-los sobrecarregados, dificultando o estabelecimento de um bom vínculo com os filhos. É aí que os pais precisam encontrar o meio termo e não sobrecarregar as crianças também.

Antes de mais, é preciso usar do bom senso. Pais e filhos são humanos. E como tais, com emoções. Ajudar nossos filhos é tentar mostrar a eles aquilo de bom que aprendemos e deixar espaço para terem as próprias experiências, mas com o cuidado de seus responsáveis. Pois crianças não têm a noção do perigo e do certo e errado.

Acima de tudo, criar com amor.


Sugestão de leitura relacionada:

Disciplina positiva: O guia clássico para pais e professores que desejam ajudar as crianças a desenvolver autodisciplina, responsabilidade, cooperação e habilidades para resolver problemas. De Jane Nelsen

Você pode adquirir o livro clicando aqui. Ou Ebook aqui.


“Disciplina positiva para educar os filhos: 52 estratégias para melhorar as habilidades de mães e pais.” De Jane Nelsen e Adrian Garsia (livro de bolso)

Você pode adquirir este livro clicando aqui.


Fonte: bbc.com. Fotos: unsplash

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s