+CULTURA

Até onde sabemos sobre os nossos povos indígenas?

O dia do Índio é só em abril, mas a questão que levanto aqui é sempre pertinente. Não podemos pensar nos nossos índios apenas no dia 19 de Abril…

Os povos indígenas do Brasil, representam hoje apenas 0,4% da população de todo o país, são 305 grupos étnicos e 274 línguas indígenas, segundo dados do IBGE. Mas são os índios os verdadeiros “donos” do Brasil. E o que sabemos realmente sobre eles? Você sabe falar alguma palavra ou frase em alguma língua indígena?

O que a maioria de nós, brasileiros sabe é o que estudamos nas aulas de história, na verdade, o que lembramos destas aulas e alguma coisa vista na TV. Ou da janela do carro quando passamos por eles na estrada, onde vendem seus artesanatos. Ou as crianças na rua pedindo esmolas.

Artesanato Indígena

“Eles são sujos”, alguns dizem. “Doamos roupas e eles jogam para um canto”… Esquecem que na cultura deles não usam roupas como as nossas e vivem descalços, embrenhados na natureza. Não são sujos ou desleixados. São de outros costumes.

Mas aos invés de lhes serem mantidas as terras que já eram suas, e deixá-los viverem conforme seus hábitos e costumes, não. Querem incorporá-los a nossa sociedade, aos nossos costumes. Mas até que ponto isso é bom para eles?

Embora muitos índios tenham se integrado e hoje tenhamos muitos brasileiros descendentes de índios e outros que vieram direto das tribos e estudaram e trabalham normalmente, muitos outros não aceitaram esta integração e preferem viver nas suas terras a sua maneira. Um direito que deveria ser mantido e defendido, mas sabemos que isso não é bem assim…

Já aqueles que estão mais integrados devem ter o direito de ter escola onde estudam a própria língua também, para preservar este patrimônio linguístico e cultural.

*Figura retirada do portal Toda Materia

Eu estava explicando para a minha filha mais velha, de 10 anos, sobre os povos indígenas do Brasil (moramos fora, então ela não tem aulas de História do Brasil), e ela me perguntou se eu sabia falar alguma coisa na língua deles. Pensei, pensei e nada. Só lembrava de nomes como Itapuã, Anhanguara, guaraná, Irapuã… E me dei conta que nunca aprendi na escola muito sobre os “donos” do Brasil. Ironia não é?

Vivemos em Doha, numa país micro chamado Qatar. Aqui apenas 11,6% da população é de Qataris, os donos do país (mesmo donos). E todas as escolas aqui ensinam a língua deles, o árabe. Mesmo as escolas internacionais, como a que a minha filha estuda, é obrigatório aprender a língua (mesmo que o básico) e sobre a história do país. Há bem menos tempo, também eles viviam em tribos, também tiveram lutas e até hoje eles mantém muitos dos seus rituais tribais, dos beduínos.

No Brasil, e em muitos outros países, como Estados Unidos e Austrália, por exemplo, as tribos foram mantidas em um “canto”. Diferenças e comparações à parte, o que quero dizer é que os índios deveriam manter as suas terras e deixados a sua escolha, aqueles que quisessem manter o seu modo de vida que o deixassem livres e aqueles que quisessem ser incluídos na nossa sociedade que tivessem o apoio necessário, e não obrigados, como acontece.

E as escolas no Brasil deveriam ter incluido nas suas disciplinas o ensino da língua indígena correspondente a tribo existente na região. Por exemplo, no Rio Grande do Sul existem as tribos Charrua e Tupi-guarani, então as escolas deveriam ensinar mais sobre a cultura e língua desta tribos.

Esta ideia já deve ter sido pensada por muitos e talvez algo semelhante já tenha sido implementado. Mas não é de conhecimento comum ou simplesmente não existe… (se você souber de algo semelhante, comente aqui)

O povo brasileiro tem vários costumes herdados dos indígenas. Tanto ainda da época dos descobrimentos, como através daqueles que se juntar a nossa sociedade.

Algumas coisas que fazem parte do nosso dia-a-dia e que vieram dos povos indígenas:

  • o uso da rede de dormir;
  • a utilização do milho, da mandioca, do guaraná e demais frutos nativos;
  • o emprego de várias ervas medicinais;
  • as técnicas de fabricação de canoas, jangadas e artefatos de palha e cipó;
  • o uso da queimada das roças antes de fazer novo plantio, etc.

Temos que preservar e valorizar a nossa cultura, o nosso povo. Somos descendentes de povos indígenas, africanos, europeus e até asiáticos. Uma mistura linda que deve ser lembrada e respeitada.


Sugestão de leitura:

Clique na imagem e saiba mais.

Clique na imagem e saiba mais.

Referências: Toda Materia, FUNAI, World Population

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s